Image

5 dicas para mandar um arquivo para impressão

15 de dezembro, 2015

Sabemos que é muito importante que um material saia da gráfica como você imaginou, por isso listamos 5 dicas que farão a diferença na hora da impressão.

1. Escolha o tamanho de papel para impressão

Apresentamos abaixo os formatos mais utilizados para a impressão de um arquivo. Fique por dentro dos tamanhos, veja qual atende a sua necessidade e facilite o seu trabalho.

DICA: quanto maior o número ao lado do A, menor será o tamanho do papel, seguindo uma escala decrescente.

4A0 2378 x 1682 mm
2A0 1682 x 1189 mm
A0 1189 x 841 mm
A1 841 x 594 mm
A2 594 x 420 mm
A3 420 x 297 mm
A4 297 x 210 mm
A5 210 x 148 mm
A6 148 x 105 mm
A7 105 x 74 mm
A8 74 x 52 mm
A9 52 x 37 mm
A10 37 x 26 mm

 

IMPORTANTE!
Existem formatos tradicionais nos EUA e Canadá, mas que também são utilizados aqui no Brasil. Esses formatos são conhecidos como:

Carta (Letter) 216 × 279 mm
Ofício (Legal) 216 × 356 mm
Ofício 2 (Folio) 216 × 330 mm
Ofício 9 215 × 315 mm
Tabloide 279432 mm

 

2. Defina a marca de corte e sangria

Após a impressão do arquivo, o material poderá ser refilado/cortado seguindo o tamanho ideal para o projeto. Para isso, é necessário que o arquivo tenha as marcações de corte delimitando o tamanho do material (Saiba mais sobre marca de corte aqui).

(imagem ilustrativa marca de corte)

Outro ponto importante é definir as sangrias para os elementos que estão em contato com as áreas limites da página. Esse processo de ultrapassar a imagem, além da margem original do documento, é chamado de “sangrar”.

A sangria representa a extrapolação da área impressa, ela deve ser a continuação da arte, fotos ou fundos.

(imagem ilustrativa sangria e corte da sangria)

 

3. Cuidado com a Fonte escolhida

Fontes são conjuntos de caracteres e símbolos desenvolvidos com um mesmo traço ou desenho, que é chamado de tipo. Esse é um dos elementos mais importantes em uma peça gráfica, por isso ter atenção e cuidados com a tipografia garante que a mensagem seja impressa de modo claro e legível.

A tipografia possui uma variedade de pesos e tamanhos, como podemos ver na família tipográfica abaixo:

(imagem ilustrativa com família de fonte)

Problemas mais comuns:

  1. Fonte não encontrada

Em arquivos enviados para gráficas o problema mais comum é a troca de fontes das quais foram atribuídas no arquivo original. Isso acontece pois a fonte não foi encontrada no computador atual.

  1. Falta de acentos ou caracteres específicos

Algumas fontes especiais não disponibilizam acentos ou caracteres específicos, isso dificulta em alguns casos a leitura do material. Em outros casos, quando o arquivo é aberto na gráfica para impressão, na falta desses itens o sistema substitui por símbolos.

  1. Formatação diferente

O texto pode perder a diagramação e recorrer pelos frames, colunas e páginas.

 

IMPORTANTE!

Feche o arquivo em PDF ou deixe as fontes em curvas, desse modo, você não terá problema na hora da impressão.

 

4. Feche o arquivo em CMYK

A cor é essencial para um trabalho, ela traduz a essência de uma marca ou empresa. Para existir uma cor, é necessária a presença de três elementos: luz, objeto e um observador. Os objetos absorvem e refletem comprimentos de ondas de luz que são percebidos pelo olho humano.

O que significa CMYK?

É a abreviação de Cian (C), Magenta (M), Yelow (Y) e o preto representado pela letra “K”. O sistema CMYK é formado por essas quatro cores e quando misturadas dão origem a outras infinitas. Essa escala possui três cores secundárias: azul violeta (magenta + ciano), vermelho (magenta + amarelo) e verde (amarelo + ciano). A junção de todas essas cores forma a preta.

O CMYK é ideal para impressão

Esse sistema é baseado em pigmentos e por isso é usado no momento da impressão em papel, tecidos e outros materiais. Se o material criado tem a finalidade de ser impresso é essencial que a arte esteja em CMYK, isso evita que haja variações de cores no material final.

 

5. Antes da Impressão

Se você tem um material importante, com um formato especial e muitas cores em seu conteúdo, recomendamos que você peça uma impressão teste ou um boneco (protótipo) de seu material. Dessa forma, você poderá avaliar erros de digitação, formatação, posição dos elementos, cores e contrastes e ter uma breve visão de como o material ficará após a impressão.

 

Siga os passos listados e o seu material ficará livre de erros imprevisíveis.

 

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Email this to someone

Deixe um comentário

Nome *
Email *
Website
Mensagem *